mxrrocker
Dark Tranquillity

Home

Alice in Chains | Black Sabbath | Cannibal Corpse | Coal Chamber | Dark Tranquillity | Green Day | Green River | Kyuss | Krisiun | L7 | Melvins | Metallica | Mother Love Bone | Mudhoney | Nirvana | Pearl Jam | Ramones | Screaming Trees | Slayer | Soundgarden | Temple Of The Dog | The Doors | Veruca Salt | Cifras e Tablaturas | Citaçoes | Bloody Ice Cream | Coffee and Tv | Coluna da *ALICE JUNKHEAD | Coluna Torta | TIENDA DEL CHAVO | Letras Traduzidas | Lost in the Dark

krisiun4.jpg

Dark Tranquillity
Formado em 1989
em Gotemburgo, Suécia

Formação:

Mikael Stanne - Vocal
Niklas Sundin - Guitarra
Martin Brändström - Eletronics
Anders Jivarp - Bateria
Michael Niklasson - Baixo
Martin Henriksson - Guitarra

Biografia

O sueco Dark Tranquillity surgiu em 1989, em Gotemburgo, quando ainda tocava death/black metal sob o nome Septic Broiler. Desde aquela época, a banda já demonstrava interesse em inovar, em não se prender aos limites do estilo. Unir a agressividade com arranjos mais calmos era uma característica, mesmo que pequena naquele momento. A garagem na casa do vocalista Anders Friden (que mais tarde sairia para se unir ao In Flames) era o local de ensaios e nenhum dos integrantes sabia tocar direito.

O primeiro ensaio aconteceu pouco mais de dois meses após a compra dos instrumentos. Mas, ao contrário dos grupos que procuravam apenas uma forma de se divertir, o Dark Tranquillity queria o profissionalismo. Seus integrantes passaram a se dedicar com força total ao aprendizado e à militância no underground. Somente em 1993 o primeiro álbum foi gravado pela Spinefarm Records. "Skydancer" era puro death metal, mas trazia teclados, algo incomum para o death tocado à época. No EP "Of Chaos And Eternal Night", de 1994, o nome da banda passou a ser mais conhecido.

krisiun4.jpg

Procurando mais estrutura para atender à demanda pelo seu trabalho, o Dark Tranquillity optou por trocar de gravadora, assinando com a Osmose Records, que é especializada em bandas death. Direcionando-se cada vez mais para a mistura da música extrema com a melodia e alterações rítmicas, o Dark Tranquillity estreiou no novo selo em 1995 com o disco "The Gallery".

Com o amadurecimento e as transformações musicais, o estilo do conjunto passou a ser classificado pela imprensa como "Gothenburg Sound". O título faz alusão às bandas que surgiram na mesma época na cidade sueca de Gotemburgo e não se encaixavam em um dos vários rótulos do metal. A parte lírica do Dark Tranquillity sempre versou sobre ciência e mitologia, artes, psicologia e o ser humano, temas raramente explorados na música extrema, dando outro diferencial ao Dark Tranquillity.

krisiun4.jpg

A cada novo trabalho as músicas eram mais diretas, sempre trazendo uma carga muito forte de energia e fortalecendo as passagens melódicas. "Enter Suicidal Angels", EP lançado em 1996, e "The Mind's I", de 1997, serviram como divisores de águas na carreira do grupo. Os dois álbuns fizeram aumentar a fama da banda, causando um "efeito clone", com vários grupos seguindo o mesmo estilo. Isto também forçou uma nova troca de gravadora.

A nova casa seria a Century Media, que daria as condições para o Dark Tranquillity gravar seus dois discos mais elaborados. Ampliando sua popularidade, o grupo participou ainda de um tributo ao Iron Maiden, tocando "22 Acacia Avenue". Em 1998 saiu o primeiro trabalho com a Century Media. "Projector" foi um álbum que mostrou um crescimento musical intenso. O ex-guitarrista Mikael Stanne, que substituiu Friden, impôs sua voz de uma forma mais limpa, revivendo algumas características da sua passagem como membro fundador do Hammerfall. Os guitarristas Niklas e Fredrik Johansson tiveram performances muito criativas, enquanto o baterista Anders Jivarp e o baixista Martin Henriksson ajudaram com arranjos modernos, dando uma força maior ao disco. Um bom disco sempre tem seu reconhecimento.

krisiun4.jpg

E "Projector" garantiu ao Dark Tranquillity uma indicação para o Grammy Awards na Suiça e ainda proporcionou a presença em tours ao lado de Arch Enemy e Children Of Bodom na Europa e do Soilwork no Japão. Para a temporada de 1999, mais um ponto positivo iria acontecer. "Haven" surpreendeu os fãs com dois novos integrantes e uma ligeira reaproximação com o peso dos discos anteriores.

Martin Brändström passou a ser o tecladista e Michael Nicklasson assumiu o baixo, o que deu uma nova face ao som do Dark Tranquillity. Mais refinada por causa dos teclados, a sonoridade ganhou um novo potencial, sem trazer alterações radicais no estilo do grupo. E o grupo já concluiu as gravações de seu novo álbum, chamado "Damage Done", a sair no meio do ano.

krisiun4.jpg

Discografia

Skydancer - 1993
Of Chaos and Eternal Night - 1995
The Gallery - 1995
Enter Suicidal Angels - 1996
The Mind's I - 1997
Projector - 1999
Haven - 2000
Skydancer/Chaos US Reissue - 2000

http://www.darktranquillity.com/

krisiun4.jpg